quinta-feira, 20 de maio de 2010

(70)

Quando fiquei sabendo dessa história, juro que não acreditei, mas descobri que é verdade. Então, apresento a vocês o dilema do ser humano.
Se divirtam !

Mil e uma faces
Minha vida é viver a vida dos outros, por apenas uma hora e meia sou alguém que eu não conheço, mas que naquele momento precisa que eu ocupe o seu lugar.

A rotina é simples, vou ao lugar combinado e com naturalidade assumo a falsa personalidade. Enquanto muitos estão dormindo, trabalhando, viajando, transando, estudando, seja o que for, eu estou no seu lugar. Não quero saber o motivo da minha contratação, a vida alheia é alheia. A atração é pela oportunidade de usar as várias máscaras, ser mais do que eu realmente sou. Na última semana fui dentista, ouvi médicos, inventei uma propaganda e até citei Freud nas minhas conversas.

Não sei como comecei, o que importa é que não quero e não consigo parar. A vida é tão grandiosa que é um desperdício ser uma pessoa apenas. Curto viver cada dia de uma forma inédita. Acredito que já perdi a minha própria identidade. Isso não importa mais, sou hoje um cidadão do mundo !

No momento não trabalho mais para os homens. A alternativa foi me vestir de mulher por tempo integral. O dia-a-dia feminino é muito cansativo. É troca de perucas, unhas pintadas, salto alto e até seios passei a usar. Não sou gay,de forma alguma, como Dustin Huffman em Tootsie, preciso deste papel, deste trabalho.

Minha família e meus amigos não fazem idéio do que faço para sobreviver. Eles acham que eu ainda estou trabalhando na Fiat. Minha rotina começa ás 7h e tem fim só no cair da noite. Almoço, descanso e me divirto durante o período que estou no trabalho. Como me alimento sendo uma pessoa diferente, jamais repito o cardápio. Gosto é gosto, cada um tem o seu.

As outras pessoas estranham um pouco, alguns descobriram o meu segredo, mas ninguém nunca tocou no assunto. É o receio de precisar dos meus serviços. Se tudo der errado não me sinto culpado. O cliente que se responsabiliza por tudo. O nome é dele, então, que fique com a culpa.

O que eu faço não é muito difícil, não tenho a prepotência de me julgar o único capaz a fazer isso. Na verdade, é muito fácil, precisa de um pouco de coragem e pontualidade. Respeitar os horários é o mais importante, afinal, alguém pode estar bem pendurado. Um número segura a minha profissão, os famosos 25%. O temor de muitos é o meu ganha pão. Tenho que correr, afinal, está na hora de fazer o meu trabalho.

Presente !!!!!!!!! To aqui professor !! EU !!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário